Qual a Posição Ideal dos Implantes de Silicone?

posicao ideal dos implantes de silicone

Definir qual a posição ideal dos implantes de silicone é fundamental na Cirurgia de Prótese de Silicone nas Mamas. É mais uma das muitas decisões que você deverá tomar em conjunto com o seu cirurgião plástico na primeira consulta médica. Para chegar ao posicionamento ideal do seu implante mamário, são avaliadas questões como o tamanho das próteses, sua anatomia corporal, a qualidade de sua pele, além, é claro, de seus objetivos estéticos.

Portanto, ao se dirigir para a consulta, ainda que tenha preferências prévias, saiba que será necessário discutir com seu cirurgião plástico sobre as várias opções de posicionamento dos implantes mamários. Ainda que sua opinião seja relevante, é importante confiar na experiência e no conhecimento técnico do seu cirurgião, caso ele indique uma posição diferente daquela planejada por você. As principais opções de posicionamento dos implantes de mama serão detalhadas abaixo:

Definindo a Posição ideal dos Implantes de Silicone

São várias as possibilidades de posicionamento das próteses de silicone. Por isso, é importante discutir com seu cirurgião qual a posição ideal dos implantes de silicone. A seguir, você saberá quais as vantagens e desvantagens de cada uma das principais posições das próteses de silicone.

Plano Subglandular (abaixo da Glândula)

O posicionamento da prótese de silicone abaixo da glândula, ou subglandular, é o mais utilizado, uma vez que o descolamento para criação do bolso para colocação do implante é mais fácil.

# Vantagens do Plano Subglandular: Além da facilidade do descolamento durante o ato cirúrgico, o pós-operatório é mais tranquilo, visto que a dor e o desconforto são mínimos e duram poucos dias.

# Desvantagens do Plano subglandular: Posicionar o implante de silicone abaixo da glândula em pacientes muito magras e sem nenhum tecido mamário pode deixá-lo muito visível. Além dessa possibilidade de tornar o resultado artificial, há ainda a possibilidade de se formarem pequenas dobras (rippling) na pele da paciente.

Plano Submuscular (abaixo do músculo)

Nesse plano, o implante fica coberto pelo músculo, cuja principal função é a de “esconder a prótese”.

A colocação da prótese no plano submuscular é indicada para:

(1) Mulheres magras, que precisam de uma cobertura maior entre a pele e o implante, para que este não fique visível;
(2) Mulheres com implante subglandular que desenvolveram sinmastia – mamas juntas na linha média, sem separação entre elas.
(3) Mulheres com histórico familiar de câncer de mama, pois necessitam de uma proteção entre a glândula mamária e a prótese, para facilitar a eventual necessidade de punções para biópsias.

# Vantagens do Plano Submuscular: Nesse plano as bordas da prótese tem a tendência de ficar menos aparentes. Há ainda, comparado ao plano subglandular, menor risco de contratura capsular.

# Desvantagens do Plano Submuscular: O pós-operatório exige maior cuidado, pois a contração do músculo peitoral, nesse período, pode deslocar o implante para os lados. Com isso pode modificar a aparência da mama. Mais ainda, no período pós-operatório, a dor tem a tendência de ser mais intensa uma vez que ocorre a distensão dos músculos durante a cirurgia. Sendo assim, a recuperação se torna mais lenta, e o tempo para retomada das atividades físicas é maior.

Duplo Plano (Dual Plane)

A denominação “duplo plano” decorre do posicionamento intermediário para prótese mamária, no qual a parte superior do implante fica coberta pelo músculo e a parte inferior fica posicionada abaixo da glândula mamária. Através dessa técnica, é possível obter os benefícios de cada umas técnicas apresentadas acima (subglandular e submuscular), o que permite reduzir determinados problemas existentes em cada uma delas isoladamente.

# Vantagens do Duplo Plano: O resultado apresenta mamas bastante naturais, sem bordos visíveis ou palpáveis superiormente. Além disso, diminui consideravelmente a possibilidade de surgimento de ondulações visíveis na superfície, também conhecidas como ”rippling”. Permite a colocação de volumes maiores. Diminuem as chances de contratura capsular.

# Desvantagens do Duplo Plano: O pós-operatório pode ser um pouco mais dolorido, pois ocorre a divisão do músculo peitoral.

Divisão Muscular (Muscle-splitting)

A técnica da Divisão Muscular (Muscle-splitting) pode ser considerada a evolução da Dual-plane. Isso porque diferentemente da técnica de duplo plano, onde o músculo é cortado para posicionamento da prótese, na Muscle-splitting, o músculo é apenas dividido ao longo de suas fibras, o que não gera tantos traumas!
# Vantagens da Muscle Splitting: A prótese fica coberta pelo músculo peitoral apenas na sua porção mais superior, para evitar o efeito “bolinha” ou mesmo as ondulações visíveis do implante (rippling).
Além disso, a divisão muscular não costuma gerar deformidade de contorno quando existe contração muscular ( a chamada “alteração dinâmica”), nem mesmo movimentação dos implantes.

# Desvantagens da Muscle Splitting: Em pacientes com musculatura peitoral muito forte, o músculo pode “empurrar” o implante para baixo. Além disso, em raros casos, o músculo pode “escorregar” para trás do implante, deixando a prótese totalmente subglandular.

Um detalhe importante é que as próteses de mama não interferem na amamentação, qualquer que seja o plano escolhido.

 

Quer agendar sua consulta com o Dr. André Valiati?

Em Porto Alegre ligue para (51)3517.5480 ou (51)99633.8816. Para agendar via whatsapp, clique nesse link ou faça seu agendamento online.

Em Sapiranga ligue para (51)3134.2020. Para agendamento via whatsapp, clique nesse link ou faça seu agendamento online.

Deixe seu comentário