> Cirurgias

1. Face

- Rinoplastia (Cirurgia estética e funcional do nariz)

A rinoplastia (cirurgia do nariz) tem o objetivo de melhorar tanto o aspecto estético quanto a função nasal. O nariz ocupa uma porção central na face, e deve respeitar certas medidas e proporções. Existem muitas indicações para o tratamento estético do nariz: giba óssea (“calombo”), ponta caída, nariz muito grande. Por vezes, os pacientes também apresentam queixas funcionais, ou seja, não respiram bem. Isso pode ser devido a desvio do septo, hipertrofia dos cornetos ou até mesmo por rinite alérgica, sendo esta última controlada apenas com medicação. A rinoplastia atual se preocupa em corrigir tanto os defeitos estéticos quanto os funcionais, tratando os pacientes de maneira global. Existem basicamente duas técnicas cirúrgicas: fechada e aberta. Na rinoplastia fechada não existem cicatrizes aparentes no nariz. Isto porque as incisões (cortes) são feitas no interior das narinas. Já na rinoplastia aberta, além das incisões internas, é realizado um corte na columela, estrutura de pele que separa as duas narinas. Esta cicatriz tem a tendência de ficar muito discreta, ou até mesmo imperceptível.

A anestesia pode ser geral ou local com sedação, dependendo da quantidade de alterações a serem tratadas. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o procedimento

- Lifting facial (ritidoplastia)

A cirurgia do rejuvenescimento facial tem como objetivo atenuar a ação do envelhecimento, deixando a paciente com um ar mais descansado. Com o passar dos anos, a pele perde seu turgor natural, a gordura subcutânea perde um pouco de seu volume e acaba por sofrer com a ação da gravidade. Atualmente, não se aceita apenas o tratamento da pele, pois isto irá gerar resultados estigmatizados, evidenciando um “rosto operado”. A moderna ritidoplastia não trata apenas a pele, mas também a musculatura e a gordura subcutânea. Com isso, obtêm-se resultados mais naturais e mais duradouros. É importante lembrar que, muitas vezes, o lifting facial não trata todas as alterações do tempo, sendo necessário recorrer a procedimentos ancilares, tais como peeling, Botox® ou preenchimento com ácido hialurônico.

A anestesia pode ser geral ou local com sedação. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o procedimento a paciente recebe alta. Sugere-se repouso por 15 dias, uso de compressas frias e cabeceira elevada, para diminuir o inchaço e as possíveis marcas rochas (equimoses).

- Pálpebras (Blefaroplastia)

A cirurgia das pálpebras (blefaroplastia) tem o objetivo de atenuar as alterações do envelhecimentos na região ao redor dos olhos. Idade, fatores genéticos e fatores ambientais (exposição solar), promovem uma série de alterações na região periocular. A pele das pálpebras se torna mais flácida e as bolsas de gordura ficam mais salientes. Estes fatores deixam os pacientes com um aspecto de cansaço. Por vezes, também ocorre uma maior pigmentação da pele da pálpebra inferior – as chamadas “olheiras”.

A blefaroplastia retira tanto o excesso de pele quanto o de bolsas de gordura, melhorando o contorno desta região e conferindo aos pacientes um ar mais descansado. Mas vale lembrar que a cirurgia não corrige a hiperpigmentação da pele da pálpebra inferior. Logo, pacientes que se queixam de olheiras devem associar aplicação de laser no local, procedimento que irá gerar grande melhora da coloração da pele.

A anestesia pode ser geral ou local com sedação. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o procedimento a paciente recebe alta. Sugere-se repouso por 15 dias, uso de compressas frias nos olhos e cabeceira elevada, para diminuir o inchaço e as possíveis marcas rochas (equimoses).

- Cirurgia videoendoscópica (endobrow)

A cirurgia videoendoscópica da região frontal (testa) tem o objetivo de colocar os supercílios de volta a sua posição natural. Com o passar dos anos, ocorre uma queda da cauda do supercílio, o que deixa as pacientes com aspecto de triste, além de gerar muito excesso de pele na região das pálpebras superiores, conferindo um ar cansado. O lifting da sobrancelha originalmente envolvia uma incisão dentro do cabelo, que ia de uma orelha até a outra. Atualmente, com o artifício de 3-5 pequenos orifícios que ficam escondidos no cabelo, promove-se a elevação dos supercílios com o auxílio de fios. Além da tração do fio, pode-se associar a retirada de uma elipse do couro cabeludo, que ajuda a esticar a pele e a levantar a parte lateral da sobrancelha.

A anestesia pode ser geral ou local com sedação. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o procedimento a paciente recebe alta. Sugere-se repouso por 15 dias e cabeceira da cama elevada, para diminuir o inchaço.

- Orelhas em abano (Otoplastia)

A otoplastia tem por objetivo corrigir alterações estéticas das orelhas. Pacientes com orelhas em abano sofrem tanto com o desconforto físico quanto com o psicológico, devido a frequentes comentários desagradáveis, principalmente entre as crianças. A cirurgia corrige três defeitos básicos da orelha de abano: ângulo muito aberto entre a orelha e a cabeça, ausência de curvas internas e por último tamanho exagerado da concha auricular.

Podem ser submetidas a esta cirurgia crianças a partir dos 6 anos e adultos. A otoplastia oferece um melhor posicionamento da orelha, aproximando-a ao crânio de forma natural. Procura-se evitar orelhas demasiadamente coladas, pois deixam os pacientes estigmatizados. As cicatrizes são posicionadas na parte de trás das orelhas, sendo camufladas pelas dobras naturais da pele e pelo cabelo.

A anestesia costuma ser geral nas crianças e local com sedação em adolescentes e adultos. O curativo inicial costuma ser maior, tipo “capacete”. Após 24-48 horas, este curativo é retirado, mantendo-se o uso de faixas elásticas (tipo faixa de tenista) por 20 a 30 dias.

> Cirurgias

2. Mamas

- Prótese mamária (mamoplastia de aumento)

A prótese mamária (implante de silicone) é um dos procedimentos mais realizados no âmbito da cirurgia plástica estética. O objetivo da cirurgia é aumentar o volume mamário, melhorar sua forma e corrigir possíveis defeitos de posição. Existem basicamente 3 tipos de próteses: lisa, texturizada e poliuretano. Cada uma delas apresenta indicações específicas, variando de paciente para paciente. As próteses podem ser colocadas por 3 principais vias de acesso: sulco submamário, periareolar e axilar. Com relação a posição no corpo, os implantes podem ser inseridos atrás da glândula mamária, atrás do músculo peitoral ou uma mistura das duas técnicas (dual plane). A indicação da posição da prótese depende das características anatômicas de cada paciente.

Os implantes de silicone são produzidos sob regime de alta tecnologia, com múltiplas agências fiscalizadoras. Atualmente, são fabricadas com silicone gel de alta coesividade. Com isto, na eventualidade de rompimento anos após sua inserção, não extravasam seu conteúdo.

A anestesia pode ser geral, peridural ou local com sedação. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o procedimento a paciente recebe alta. Sugere-se repouso com os membros superiores nos primeiros 15-30 dias e uso de malha modeladora por 1 mês.

- Redução mamária (mamoplastia redutora)

A cirurgia de redução mamária apresenta como finalidade primordial a diminuição do volume e, consequentemente, do peso das mamas. Além disso, promove suspensão da mama, que geralmente encontra-se “caída”. O somatório destas intervenções irá restabelecer a anatomia feminina, deixando a paciente com mamas mais harmônicas e proporcionais ao seu tamanho corporal.

Existem múltiplas técnicas, com inúmeras cicatrizes resultantes. De modo geral, é necessária incisão ao redor do mamilo, além de duas cicatrizes lineares: uma horizontal, que percorre toda a porção inferior da mama, e outra vertical, que une a incisão do mamilo à incisão submamária. A cicatriz final lembra um “T” invertido.

A anestesia pode ser geral, peridural ou local com sedação. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o procedimento a paciente recebe alta. Sugere-se repouso com os membros superiores por 15 a 30 dias e uso de malha modeladora por 1 mês

- Mastopexia

A mastopexia tem o objetivo de elevar e de remodelar mamas caídas e flácidas. Com o passar dos anos, as mamas podem perder seu formato e sua firmeza devido a gravidez, perdas de peso ou até mesmo pela ação da gravidade. A forma e o tamanho das mamas devem ser discutidos com o cirurgião no consultório. Dependendo do volume final desejado, pode ser necessária a colocação de próteses de silicone. Contudo, se a paciente tiver tecido mamário suficiente, o uso da prótese pode ser desconsiderado.

Dependendo da quantidade de pele a ser retirada, pode-se optar por 3 técnicas cirúrgicas. Em pacientes com pouca queda das mamas e com pouca pele a ser retirada, pode-se realizar apenas incisões ao redor da aréola. Em pacientes com quantidade moderada de pele, opta-se pela incisão tipo “raquete”, ou seja, ao redor da aréola e com extensão vertical para baixo, até o sulco mamário. Já em pacientes com muita queda da mama e/ou com muita pele a ser ressecada, opta-se pela incisão tipo “T invertido”: ao redor da aréola, vertical e horizontal no sulco da mama. No entanto, cabe ressaltar que, independentemente da técnica utilizada, todas as cicatrizes limitam-se a metade inferior das mamas, permitindo uso de roupas decotadas ou biquínis.

A anestesia pode ser geral, peridural ou local com sedação. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o procedimento a paciente recebe alta. Sugere-se repouso com os membros superiores por 15 a 30 dias e uso de malha modeladora por 1 mês.

- Ginecomastia (“Plástica mamária masculina”)

A ginecomastia corresponde ao excesso de glândula mamária nos homens. Geralmente não tem causa definida, surgindo tanto na adolescência quanto na terceira idade. Algumas vezes pode estar relacionada ao uso de esteroides anabolizantes, a certos medicamentos para tratamento da hipertensão arterial, a doenças do fígado ou a doenças endócrinas. Antes da cirurgia, é necessária uma avaliação minuciosa, envolvendo tanto um exame físico completo quanto um check-up laboratorial.

A cirurgia tem o objetivo de devolver ao paciente um tórax mais masculino, tendo em vista os possíveis problemas estéticos e psicológicos associados a esta anormalidade.

A técnica cirúrgica vai depender do tamanho da glândula e da quantidade de excedente de pele. Para pacientes que apresentam mamas aumentadas às custas apenas de gordura, utiliza-se a lipoaspiração. Quando o paciente apresenta tanto excesso de gordura quanto de glândula, utiliza-se lipoaspiração e retirada parcial da glândula mamária através de uma cicatriz em meia-lua posicionada na porção inferior do mamilo. Já pacientes que apresentam grandes ginecomastias, com excesso de gordura, de glândula e de pele, utiliza-se lipoaspiração, retirada parcial da glândula e ressecção de pele.

A anestesia pode ser local com sedação, geral ou peridural. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o procedimento o paciente recebe alta. Sugere-se afastamento das atividades físicas por 15 a 30 dias e uso de malha modeladora por 1 mês.

- Implante Peitoral Masculino

A cirurgia de implante peitoral masculino tem o objetivo de aumentar o volume da região anterior do tórax, melhorando o contorno corporal. As indicações da cirurgia são bem variáveis, mas, no geral, encontramos dois tipos de pacientes: (1) aqueles com deformidades congênitas, como a ausência da musculatura peitoral (Síndrome de Poland); e (2) homens que, apesar de treinamento intenso em academias, não conseguem atingir a projeção peitoral desejada.

Os implantes peitorais masculinos diferem das próteses utilizadas em mulheres, tanto em formato quanto em volume. Também são feitas de silicone e apresentam tamanhos variados, permitindo um resultado personalizado. No entanto, vale salientar que o volume do implante vai depender das características anatômicas de cada indivíduo. Após a realização de um exame físico completo, incluindo a aferição de medidas corporais, o seu médico poderá indicar a prótese mais adequada para você.

Existem várias abordagens para a colocação do implante. A técnica mais utilizada é a via axilar, na qual com uma pequena incisão na axila a prótese é inserida atrás do músculo peitoral. Desta forma, o silicone ficará escondido atrás do tecido muscular, proporcionando um resultado natural e confortável.

A anestesia pode ser local com sedação, geral ou peridural. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o procedimento o paciente recebe alta. Sugere-se afastamento das atividades físicas por 30 a 45 dias e uso de malha modeladora por 1 mês.

> Cirurgia

3. Contorno Corporal

- Lipoaspiração

A lipoaspiração consiste na retirada de gorduras localizadas, as quais se encontram em excesso em determinadas regiões do corpo, melhorando a silhueta corporal. São realizadas pequenas incisões em lugares estratégicos, pelas quais são inseridas cânulas ligadas a um sistema de vácuo. Desta forma, a gordura excedente é retirada, sem que haja lesão de vasos e nervos importantes.

Mas atenção: a lipoaspiração não tem a finalidade de emagrecimento! Os melhores resultados são vistos em pacientes que não apresentam flacidez de pele e que estejam no seu peso adequado ou ligeiramente acima.

A anestesia pode ser geral, peridural ou local com sedação. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o procedimento a paciente recebe alta. Recomenda-se uso de malhas modeladoras por, pelo menos, 30 dias. Além disso, pode-se associar drenagens linfáticas e ultra-som. A manutenção do peso no pós-operatório é fundamental para que o resultado perdure.

- Lipoescultura

A lipoescultura nada mais é do que a união de dois procedimentos: lipoaspiração e enxerto de gordura. Realiza-se lipoaspiração nas áreas com excesso de tecido gorduroso. Esta gordura, ao invés de ser descartada, é preparada em ambiente estéril e reinserida (enxertada), com auxílio de cânulas, em regiões que apresentam déficit de volume. Glúteos (nádegas) , pernas e zonas de cicatrizes são as áreas que mais se beneficiam deste procedimento.

A anestesia pode ser geral, peridural ou local com sedação. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o procedimento a paciente recebe alta. Recomenda-se uso de malhas modeladoras por, pelo menos, 30 dias. Além disso, pode-se associar drenagens linfáticas e ultra-som. Assim como na lipoaspiração, a manutenção do peso no pós-operatório é fundamental para que o resultado perdure.

- Cirurgia estética abdominal (Abdominoplastia)

A abdominoplastia visa a corrigir alterações estéticas do abdome. É muito indicada em pacientes que apresentaram gestações anteriores e que permaneceram com excesso de pele e gordura localizada. Também pode-se corrigir o afastamento da musculatura abdominal resultante da gestação, deixando a paciente mais “acinturada”. Existem basicamente 3 tipos de cirurgia, as quais variam conforme as alterações anatômicas de cada paciente. Em todas elas, a cicatriz é posicionada na porção mais inferior do abdome, ficando camuflada por roupas íntimas ou roupas de banho. A mini-abdominoplastia compreende uma incisão mais curta, com descolamento até a cicatriz umbilical. Está indicada para pacientes com pouco excesso de pele, localizado apenas abaixo do umbigo. A abdominoplastia clássica compreende uma incisão maior, e o descolamento é completo. Está indicada em pacientes com grandes excedentes cutâneos, tanto acima quanto abaixo do umbigo, mas sem gordura localizada. A lipoabdominoplastia é a cirurgia abdominal mais comum. Compreende uma cicatriz longa como a abdominoplastia clássica, mas com descolamento mais reduzido. O grande diferencial é a associação da lipoaspiração, que melhora o contorno corporal. Está indicada em pacientes com grandes excedentes cutâneos, tanto acima quanto abaixo do umbigo, e que também apresentam gordura localizada.

A anestesia pode ser geral ou peridural. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o procedimento a paciente recebe alta. Sugere-se afastamento das atividades físicas por 15 a 30 dias e uso de malha modeladora por 1 mês. Além disso, pode-se associar drenagens linfáticas e ultra-som para acelerar o desaparecimento do edema (“inchaço”).

- Cirurgia estética dos braços (braquioplastia)

A braquioplastia é o procedimento cirúrgico que visa a corrigir os excedentes de gordura e pele dos braços. Em alguns casos, a correção pode ser realizada apenas com lipoaspiração. No entanto, quando há flacidez de pele, se faz necessária a retirada do excedente cutâneo, gerando uma cicatriz que é posicionada na região interna do braço.

A anestesia pode ser local com sedação, geral ou peridural. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o procedimento a paciente recebe alta. Sugere-se afastamento das atividades físicas por 15 a 30 dias e uso de malha modeladora por 1 mês.

- Cirurgia estética das coxas (cruroplastia)

A cirurgia das coxas tem o objetivo de retirar o excesso de pele e de gordura das coxas, melhorando a flacidez e o contorno corporal. Quando a flacidez é pequena, as cicatrizes resultantes são posicionadas na virilha; no entanto, para pacientes com grandes excedentes de pele, se faz necessária uma cicatriz um pouco maior, que percorre a porção interna das coxas.

A anestesia pode ser geral ou peridural. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o procedimento a paciente recebe alta. Sugere-se afastamento das atividades físicas por 15 a 30 dias e uso de malha modeladora por 1 mês.

- Pós-Obesidade

A obesidade é uma das maiores pandemias da atualidade, sendo responsável por muitas doenças crônicas, tais como hipertensão arterial, diabete melitus, doenças cardíacas e cerebrovasculares. Com o aumento do peso corporal, ocorre uma distensão dos tecidos, especialmente da pele. Após grandes perdas ponderais, seja por dieta ou por cirurgia bariátrica (redução de estômago), a pele não consegue “encolher”, resultando em um excesso de pele importante que traz transtornos aos pacientes. Dobras de pele na região do abdome, das coxas e dos braços podem gerar infecções fúngicas crônicas (intertrigo), trazendo sintomas desagradáveis como coceira ou mal cheiro. Algumas vezes o excedente de pele é tão grande que gera limitações sociais aos pacientes, pela dificuldade em vestir as roupas.

A cirurgia plástica pós-obesidade tem o objetivo de retirar o máximo de pele excedente, devolvendo aos pacientes um contorno corporal mais natural e resolvendo tanto os transtornos infecciosos das “dobras” quanto os problemas sociais e de higiene.

Dependendo da cirurgia indicada (abdome, braços, coxas, virilhas), a anestesia pode ser peridural ou geral. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o término do procedimento o paciente recebe alta. No entanto, alguns pacientes necessitarão de internação hospitalar por um curto período, de 1 a 2 dias. Recomenda-se afastamento das atividades físicas por 15 a 30 dias e uso de malha modeladora por 1 mês.

- Prótese de panturrilha

Existem basicamente duas indicações para a colocação de implantes de panturrilha: por motivos estéticos, em pessoas que querem ganhar um volume maior em pernas, ou então para corrigir uma eventual atrofia muscular decorrente de doença neurológica ou muscular.

Diferentemente das próteses de mama, os implantes de panturrilha apresentam uma consistência um pouco mais endurecida, obedecendo a natureza mais firme do músculo da perna. Os volumes também são menores, variando de 100 a 150 mL.

A incisão para a colocação do implante fica camuflada nas dobras de pele localizadas atrás do joelho, tornando-se quase imperceptíveis com o passar dos meses. O objetivo da prótese não é tornar o músculo mais definido, mas sim melhorar o volume e o contorno das pernas, principalmente na visão frontal.

A anestesia geralmente é peridural. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o término do procedimento o paciente recebe alta. É importante frisar que é fundamental se afastar das atividades físicas por pelo menos um mês após a colocação dos implantes.

- Glúteos

Algumas pacientes apresentam glúteos com pouca projeção, ou até mesmo com contorno inadequado. A cirurgia para aumento da região glútea tem a finalidade de aumentar e melhorar o formato do bumbum. Pode ser realizada através da inserção de próteses de silicone ou utilizando gordura aspirada de outra parte do corpo.

O aumento do bumbum com gordura (lipoenxertia glútea) está indicada em pacientes que apresentam acúmulos indesejados de gordura em outras partes do corpo, como os flancos, culotes e abdome. Após a lipoaspiração, a gordura é preparada e inserida na região glútea, aumentando seu volume. Este procedimento apresenta algumas vantagens, a saber: evita o uso de próteses (que necessitam de trocas com o passar dos anos), a gordura é da própria paciente (não gera rejeição) e permite modelagens de pequenas áreas de depressões, como as celulites. No entanto, espera-se uma absorção natural deste tecido, que ocorre nos primeiros 6 meses, gerando diminuição do volume em taxas que giram em torno de 30%.

A prótese glútea aplica-se para pacientes magras, que não apresentam gorduras localizadas a serem retiradas. Também pode ser utilizada em pacientes que, mesmo após uma sessão de lipoenxertia, desejam bumbuns ainda maiores. A incisão é feita entre os glúteos, próximo ao osso do cóccix, tornando-se inaparente mesmo com uso de biquínis.

A anestesia pode ser geral ou peridural. Na maioria dos casos, a cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o procedimento a paciente recebe alta. Sugere-se afastamento das atividades físicas por 15 a 30 dias e uso de malha modeladora por 1 mês. Além disso, pode-se associar drenagens linfáticas e ultra-som para acelerar o desaparecimento do edema (“inchaço”).

> Cirurgias

4. Cirurgia Íntima Feminina

- Cirurgia Íntima Feminina

Algumas mulheres sentem vergonha da aparência de seus genitais, tornando difícil sua relação com seus parceiros. Embora não pareça, essa queixa é muito mais frequente do que se imagina. Os motivos mais comuns que levam as pacientes a procurarem ajuda são o excesso de tamanho dos pequenos ou dos grandes lábios, bem como o excesso de volume do monte de Vênus. Estas alterações muitas vezes geram desconforto até mesmo na hora de vestir uma calça mais justa ou um biquíni. Esta insatisfação com a aparência do genital pode acarretar em traumas psicológicos, interferindo tanto no relacionamento sexual quanto no afetivo.

A cirurgia íntima pode melhorar 3 regiões da vulva: os pequenos lábios, os grandes lábios e o monte de Vênus. A correção dos pequenos lábios é feita com a retirada do excesso de tecido e fechamento com pontos absorvíveis, ou seja, pontos que caem sozinhos após 10-14 dias. Para a correção de grandes lábios volumosos pode-se utilizar lipoaspiração, ressecção de pele ou a combinação das duas técnicas. Com o envelhecimento, algumas pacientes apresentam uma atrofia dos grandes lábios, tornando-os murchos e flácidos. Nestes casos, pode-se realizar enxerto de gordura, a qual é retirada de outra parte do corpoda própria paciente. A correção do monte de Vênus volumoso é feita com lipoaspiração. A anestesia pode ser peridural ou local com sedação. A cirurgia é ambulatorial, ou seja, algumas horas após o procedimento a paciente recebe alta. Sugere-se cuidados de higiene locais e abstinência sexual por 30 dias.

> Cirurgia

5. Procedimentos não-cirúrgicos

- Toxina botulínica tipo A (Botox®)

A ação dos músculos da mímica, em associação com fatores genéticos e ambientais (cigarro, exposição solar), acabam por marcar nossa pele com as chamadas rugas, ou linhas de expressão. Existem 2 tipos de rugas: as dinâmicas, que se formam apenas durante a ação da musculatura facial, e as estáticas, que aparecem mesmo em repouso. A toxina botulínica tipo A (Botox®) causa uma paralização da musculatura onde é aplicada, melhorando completamente as rugas dinâmicas e atenuando as rugas estáticas. Também apresenta eficácia comprovada para pacientes que transpiram demais em mãos e axilas (hiperidrose), gerando paralização temporária das glândulas sudoríparas.

Sua aplicação é realizada em consultório médico, não sendo necessário nenhum tipo de anestesia. Para um maior conforto, pode-se lançar mão de pomadas anestésicas, que devem ser aplicadas na pele 2 horas antes do Botox®.

A duração do efeito da toxina bolulínica é variável, mas tende a permanecer por até 6-8 meses. As contra-indicações a utilização do produto são alergia (casos muito raros), gravidez ou amamentação, bem como infecções da pele no local das aplicações.

- Preenchimento

Com o passar dos anos, a pele perde um pouco de seu volume natural, a gordura subcutânea sofre tanto com o processo de atrofia quanto com o efeito da gravidade. Todas essas alterações culminam nos sinais do envelhecimento, como rugas e perda dos contornos faciais.

Os preenchedores cutâneos têm a finalidade de atenuar rugas e repor o volume de certas regiões da face, deixando a paciente com um rosto mais jovial, mais harmônico.

Os preenchedores podem ter múltiplas indicações: rugas finas dos lábios, perda de volume aos lábios, perda de volume das “maçãs do rosto”, sulcos nasogenianos (“bigode chinês”), rugas frontais. Para cada tipo de ruga, existe um produto indicado. Os dois preenchedores mais utilizados são:

Gordura:A gordura é retirada de áreas onde está em excesso sob técnica de lipoaspiração, sofre processo de preparação e é injetada nas áreas indicadas. Ela apresenta muitas características que a aproximam de um preenchedor ideal: não há rejeição, não dá alergia e é bastante disponível. Seu inconveniente é a taxa de absorção: nem toda gordura injetada permanecerá. Logo, novas sessões podem ser necessárias.

Ácido hialurônico: é uma substância naturalmente produzida pelo organismo, e tem como principal função reter água, conferindo hidratação e volume. É bastante utilizada nos EUA e no Brasil, e apresenta bom perfil de segurança. Seu inconveniente é a reabsorção – seus resultados duram de 6 meses a 1 ano.

- Soft Lift®

Soft Lift® é uma técnica inovadora e menos agressiva que o lifting facial para o tratamento das rugas do rosto. Combina Botox® com ácido hialurônico, métodos consagrados em rejuvenescimento facial.

Soft Lift® é uma técnica médica, não cirúrgica, que trata ao mesmo tempo os múltiplos sinais do envelhecimento, atenuando as rugas estáticas e dinâmicas, redefinindo contornos e repondo volumes. O resultado é uma aparência mais natural, rejuvenescida e satisfatória.

A combinação de técnicas de rejuvenescimento na busca por resultados cada vez mais naturais, duradouros e satisfatórios está em linha com as mais novas tendências em rejuvenescimento facial.

- Peeling

Os danos gerados pela exposição solar, pelo cigarro e pelo envelhecimento vão deixando marcas em nossa pele. Manchas escurecidas, linhas de expressão e rugas profundas constituem essas marcas.

Peelings são procedimentos que promovem uma descamação da camada mais superficial da pele, fazendo com que o organismo produza uma nova pele, mais brilhosa e firme. Essa renovação cutânea melhora a qualidade do tecido, diminuindo as rugas e amenizando as manchas.

Existem variadas técnicas de peelings. Grosseiramente, são divididos em físicos (dermoabrasão, Laser) e químicos (ácidos). Os peelings químicos são os mais utilizados, sendo o ácido tricloroacético e o fenol os mais comuns. O tipo de ácido, a concentração do mesmo e o tempo de contato com a pele vão determinar a profundidade do peeling. Rugas muito profundas necessitam de peelings mais agressivos; já as rugas finas podem ser tratadas com esfoliações mais superficiais.

Na maioria dos casos, as aplicações dos ácidos podem ser realizadas em consultório. É necessária uma preparação da pele antes do procedimento, bem como cuidados depois, principalmente hidratação e proteção solar.

O tempo de recuperação é bem variável, pois depende do produto utilizado, de sua concentração e das características da pele da paciente. Geralmente, após 7 dias a descamação já se completou.

O peeling pode ser utilizado em conjunto com o Botox® e com o Ácido Hialurônico permitindo uma melhoria global da pele e um rejuvenescimento facial sem cirurgia.